Profissionalização

Afinal, o que faz um Roadie?

festival-musica-santa-catarina

O Festival de Música de Santa Catarina em parceria com a Casa do Roadie apresenta o que faz um Roadie

Antes de falar sobre o dia a dia da profissão e os desafios que se apresentam nas estradas pelo país afora, é importante definir quem é, o que faz e onde habita essa peça chave de qualquer produção, o roadie.

O termo “roadie” no Brasil é usado na maioria das vezes, de forma equivocada, para designar o responsável apenas por carregar ou afinar o instrumento do músico.

Porém, a essência da palavra é muito mais ampla.

Do inglês, road = estrada + a terminação diminutiva “ie”, seria na tradução livre, o “estradeiro”. A expressão surgiu para denominar todos os profissionais que, por conta da sua função principal sempre estão na estrada viajando, (ou seja, “on the road”).

O início disso foram as turnês norte-americanas e europeias, nas quais músicos e técnicos viajavam (e ainda viajam) grandes distâncias de ônibus.

No Brasil funciona um pouco diferente, já que nossa infraestrutura de rodovias e estradas, nem sempre permite que uma turnê rode todo o país, de forma rápida e segura, por via terrestre. Além disso, a forma como os shows são comercializados e outras particularidades do nosso mercado de entretenimento, também impactam na configuração e sequências que os shows são marcados.

Os roadies são aqueles que colaboram para o sucesso de um evento do começo ao fim, produtores, assistentes, técnicos, carregadores e toda da equipe que põe a ‘mão na massa’ para entregar um excelente espetáculo de qualquer porte, desde uma reunião social ou corporativa, até megaeventos esportivos e musicais.

Habilidades Essenciais

Muita gente tem dúvida sobre o que um roadie precisa saber para se destacar ou quais aptidões os profissionais precisam dominar para iniciar na área.

Antes de listarmos algumas competências básicas, vale ressaltar que independente da sua qualificação técnica o que vai te diferenciar dos demais, serão suas habilidades comportamentais.

  • Não adianta ser um ótimo roadie e tratar mal o produtor local.
  • Não adianta entender tudo sobre áudio e se achar superior ao carregador.

Essa é uma questão central no backstage, a forma como as equipes, empresas e profissionais se relacionam tem sido um grande problema nas produções de todo o Brasil.

Postura, organização, pontualidade, agilidade, discrição, pró atividade, cordialidade e ética são exemplos de características que todo profissional precisa ter para desempenhar com alta qualidade a sua atividade.

Além disso, é esperado que um roadie tenha noções de áudio, elétrica, eletrônica, luthieria, música, segundo idioma (inglês/espanhol), enfim, são diversos fatores que influenciam no desenvolvimento profissional, esses são só alguns pontos chave.

Na Prática!

Para se destacar dos demais, os estudos devem fazer parte da rotina de um roadie. Livros, palestras, vídeos, cursos, workshops e todo material técnico é muito bem-vindo em qualquer momento de vida do profissional, seja no início da carreira ou para reciclar seus conhecimentos depois de anos e anos de prática.

Pensando nisso, a Casa do Roadie criou a série Vida de Roadie, onde acompanhamos de perto o dia a dia de profissionais do backstage e seus desafios pelas estradas de todo o Brasil.

Neste primeiro episódio, Dinho Casu – drum tech do CPM22 – mostra como é seu trabalho com uma das maiores bandas de rock do país.

Confira o vídeo abaixo:

Sobre a Casa do Roadie

Origem

A Casa do Roadie nasceu com a missão de elevar o nível das produções no Brasil. Fazemos isso por meio de produtos, serviços e geração de conteúdo. O projeto toma forma em meados de 2014 como o primeiro e-commerce no Brasil especializado em acessórios para profissionais de shows e eventos, oferecendo produtos diferenciados, de alta qualidade e úteis para o dia a dia de pessoas e empresas.

Idealizador

Idealizada pelo técnico de áudio Rafael Erdei, a Casa do Roadie é uma combinação de sua vivência profissional (por trás de graves, médios e agudos das mesas de som, grandes palcos e milhares de quilômetros de estrada no Brasil e no mundo) com a oficina de sonhos de seu pai, um inventor de mão cheia que com um sorriso no rosto e boas ferramentas na mesa, é capaz de criar qualquer coisa.

Rafael Erdei está no backstage de shows e eventos há 15 anos. Sempre trabalhou com música, aos 17 anos montou seu primeiro estúdio, aos 20 criou uma revista voltada para o mercado de música independente. Pouco tempo depois, embarcou para os Estados Unidos e seguiu na carreira do backstage, foi diretor técnico do Brazilian Day na Califórnia e fundou a Escena.Co, uma produtora especializada em festivais e turnês, esta experiência impulsionou sua carreira internacional onde teve oportunidade de rodar a Europa e os Estados Unidos. Atualmente, além de estar à frente da gestão da Casa do Roadie é também diretor técnico e técnico de monitor do Tiago Abravanel.

Sobre o autor do texto

Alexandre Ribeiro é formado em Gestão de Eventos pela Anhembi Morumbi e Pós-Graduado Master em Marketing pela ESPM – SP, começou sua carreira na MTV Brasil como assistente de produção do departamento de eventos. Depois trabalhou com marketing esportivo onde participou de projetos para as marcas Sony, Adidas, Centauro, FIFA, entre outras. Teve uma breve passagem pelo terceiro setor, onde foi coordenador de comunicação da TUCCA, uma ONG de São Paulo, que por meio de shows e eventos, arrecada recursos para o tratamento gratuito do câncer em crianças e adolescentes carentes. Atualmente é sócio da Casa do Roadie, responsável pelo departamento de marketing e comunicação.

logo casa do roadie

Saiba mais sobre o Tum Sound Festival e inscreva-se!

Deixe uma resposta